quinta-feira, janeiro 24, 2008

o meu cartaz

O sol, essa gratuita publicidade à vida, apanha-me um sorriso desprevenido e projecta-o no meu peito. Tenho um coração a gargalhar. Tenho vento nos pés. Tenho vergonha desta ousadia de viver intensamente e vaidade na vida que me preenche. Evito despropositadas invejas - como invejar o que todos pertence? - e cerro a liberdade no meu bolso de peito. Só mais logo a verei despontar em cravo perfumado. Como esconder da realidade esta força que me acontece? Se os meus olhos anunciam em cartaz, um brilho de fé?