terça-feira, outubro 17, 2006

o que eu prefiro

Quando a alma sai disparada e explode como pólvora inflamada percebo porque sou mulher. A combustão do meu corpo ascende o céu e rasga-lhe tiras de luz. Para jurar a perfeição basta-me saber onde me levas. Para conhecer a dor basta-me que te suprimas. Dizem que há uma vida para além de tudo isto, tirando o sal ao mar, castrando ao corpo o espírito, vivendo de rojos depois de voar. Quando lhe quiser chamar vida, lembra-me que jurei antes morrer deitada contigo. Porque é assim que eu prefiro.

6 Comments:

Blogger Barão d'Holbster said...

Sabes o que eu te digo?
Fia-te na virgem e não corras...!!!
Não deixes o gozo para depois, o que preferires é agoa o momento exacto para o fazer.
Ah, e deixa-te de juras, já basta a da SIC (que já vi durante 5 min para ver as cenas de sexo e,... nada, acho que aquilo é uma fraude

5:32 da tarde  
Blogger vague said...

('.')

8:22 da tarde  
Blogger Hipatia said...

Se for para jurar que é bom ser mulher... eu juro!

10:58 da tarde  
Blogger SGC said...

eu acho q o texto é mais do q isso, bastet...
(e uma mera jura nunca é uma mera jura...)
*

11:03 da tarde  
Blogger Bastet said...

juramos as duas Hip! :)*

Achas muito bem SGC. Esta jura não é uma mera jura. :)*

Não sei dessas juras Barão... as horas escandalosas a que agora me recolho não me permitem ver esses programas. Mas sim, apesar de eu me fiar na Virgem também corro.

11:27 da manhã  
Blogger Lino Centelha said...

Decisões, decisões, decisões! Todos os dias decisões e o tempo à espera de ser possível fruir apenas. Não é possível encarar a evidência de os processos não se conformarem à simplicidade das ideias. Existem sempre grãos de pó na engrenagem. E a terra é um grão de pó no universo. Temos que gostar dela.

12:08 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home