sábado, setembro 16, 2006

rimas controversas

Absolutas certezas rimam com prepotência e o medo verseja com quase tudo, até com as causas mais nobres quando vistas a branco e preto. Depois há a arte do disfarce que mostra a careca no facilitismo ocasional de um discurso, quando o capachinho escorrega nas intimidades mal cobertas de verdade. Há o pódium onde se medalham as palavras vomitadas mas desprovidas de conteúdo, ante o entusiasmo despudorado dos seguidistas militantes - os mesmos que lançam as flores e as pedras aguçadas segundo o gesto mais vizinho. Radicalismo jamais rimará com compreensão e o amor é cada vez mais o verso solitário e estuprado pelos estupores emocionais que cantam odes acutilantes, julgando que assim se cobrem de graça e distinção. Expectantes das palminhas calorosas dos imbecis, passa-lhes ao lado a verdadeira poesia. Cultivam na sua ignorante inteligência, uma forma de submissão mais sofisticada, um ignaro serventilismo porque esta rebeldia tão irreverente é afinal banal e comezinha. Um pobre soneto girinho que anda pela boca dos que muito se prezam, desprezando a simplicidade não literária dos sentimentos.

14 Comments:

Blogger Mocho Falante said...

olá viva

vim dar-te uma beijoca de saudade


Xuuuaaac

5:26 da tarde  
Blogger perola&granito said...

bom fim semana

8:13 da tarde  
Blogger vague said...

Pois é, os sentimentos não têm simplicidade 'literária'. Bem vistas as coisas, tão pouco têm 'simplicidade', salvo raras e felizes excepções em que a dita rima com... inteireza ou...química.
Algo assim :)

5:33 da tarde  
Blogger cozinheiro said...

Após um dia atarefado na cozinha, qual não é o meu espanto quando deparo com uma senhora que também adora gatos.

3:26 da tarde  
Blogger jp said...

mas anda tudo na mesma?!
até tu, Brutus?
:-)**

4:05 da tarde  
Blogger Bastet said...

Viva Mocho Falante que já não te ouvia o pio há tanto tempo! Beijos para ti também amigo!

Obrigada Pérola mas o fds já lá vai, snif...

Os sentimentos são simples querida Vague a malta é que os complica! :)*

Bem vindo seja Sr. Cozinheiro! Os amantes dos gatos são muito bem recebidos por aqui! :)

Anche io... JP! :)*

5:09 da tarde  
Blogger ikivuku said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

6:37 da tarde  
Blogger ikivuku said...

Dizia-se antes que era a fome que fazia os bons poetas. E é. Há sempre uma fome qualquer por trás de um delicioso texto. Fome de justiça ou de humanidade que gera a indignação capaz de espremer de um corpo palavras sentidas violentamente com sentido.

8:00 da tarde  
Blogger vague said...

eu já não sei é nada :)

8:51 da tarde  
Blogger cozinheiro said...

Seja também benvinda na minha cozinha, dona Bastet. Aprenderá truques para conquistar qualquer homem.

10:00 da tarde  
Blogger Bastet said...

Ora Senhor Cozinheiro, fui espreitar as suas receitas e pareceram-me cuidadodasamente confeccionadas, só é pena dedicarem-se exclusivamente aos meus semelhantes felinos. Quanto à conquista dos homens foi coisa que a bem dizer nunca me preocupou pela simplicidade envolvida na questão mas sempre lhe posso facultar umas receitas de como pô-los a marinar e de seguida saboreá-los como deve ser! :)

Ikivuku: nem sempre consigo miar com doçura! :)*

8:46 da manhã  
Blogger cozinheiro said...

Dona Bastet, sou um modesto cozinheiro, mas orgulho-me de ter salvo mais casamentos com as minhas receitas que muitos padres ou psicólogos com as suas mezinhas.

12:45 da tarde  
Blogger Bastet said...

Não duvidei em momento algum da sua arte culinária e dos seus bons efeitos sentimentais. De resto, é sabido, o caminho do estômago para o coração. A mim, por exemplo, quem me cozinhasse um gato despedaçava-me o coração... bem a não ser que fosee o meu gato mijão! LOL!!!! :)

12:51 da tarde  
Blogger vague said...

toc, toc,
está alguém em casa?

4:29 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home