segunda-feira, agosto 21, 2006

fado matinal

Há um gato bebé na rua debaixo de um carro e eu finjo nem ver. Está à sombra entretendo com miados quem passa mas quem passa não repara apesar de fingirem ver. Depois cola-se-me ao corpo o miado e arrasta-se penoso comigo, transformado em súplica. Já é o lamento da culpa que trago e que nem sei de quê. O jugo da impotência destas mãos ocupadas e repito em surdina palavras para me convencer. Porque a pena é maior que eu. Como a menina que trago pendurada porque uma vez acordada tinha olhos de amor e me soube pedir, leva-me contigo mãe! E eu trouxe-a atrelada com a trela pesada da responsabilidade que corta em farrapos o egoísmo. E as lágrimas de uma amiga que ao meu lado se senta tão triste e eu quero apagar essa dor e pôr-lhe um sorriso. Tantos gestos que poucos não chegam e sei lá eu se estes quantos que valor têm ou melhor que sucesso? É pouco, tão pouco, é nada. Ganho medo ao afago pela dor maior que eu adivinho. De que serve um consolo sem uma solução? Que cruel mostrar o conforto por escassos segundos. E penso em mim. Olho a dispensa dos meus afectos e estou a miar, debaixo de um carro, parada na rua, a ver quem passa e finge reparar.

9 Comments:

Blogger sharkinho said...

Ah, fadista!...

3:12 da tarde  
Blogger Amir said...

parece-me que ja faz parte de ti o bichano... ja o trazes, mesmo sem quereres, em ti, como todos nós...

1:11 da tarde  
Blogger vague said...

Estou como o Shark :)

(quanto ao assunto em epígrafe algures, informo que no teu centenário se eu cá estiver não estarei talvez capaz de te patabenizar dada a nossa diferença de idades)

2:03 da tarde  
Blogger Bastet said...

sarkinho: ai o fado, ai a saudade, trlim, trlim, trlim :)*

Bem vindo sejas Amir e como tens razão! Já trago o miado na alma! :)*

Vague Maria: não estejas já a arranjar desculpas para te furtares ao trabalho, bolas! ;)*

3:08 da tarde  
Blogger SGC said...

Bastet,
A metáforafinal éuma belíssima "chave d'ouro"...Assim se constroem os belos textos!
*

3:46 da manhã  
Blogger Softy Susana said...

se fosse eu um dos "passantes", acredito que não te deixaria a miar, debaixo do carro. No máximo, "ronronarias" no meu colo, enquanto so espirros e a alergia tomariam conta de mim! LOL
Beijocas!

10:49 da manhã  
Blogger Bastet said...

Obrigada SGC! :)

Também acredito que não Softy que não deixarias ninguém a miar apesar das alergias porque o teu coração é grande! E que saudades eu tinha de passares por aqui!

11:24 da manhã  
Blogger batista filho said...

Triste, o miado perpassa a indiferença da turba que passa. Mesmo já tendo passado, diminuo o passo e olhando por baixo do carro, sorrio... riso de de gato vadio, riso de gato arredio perambulando ao léu.

10:43 da manhã  
Blogger Bastet said...

E que jeitinho mais doce dá esse teu cantar ao miado deste gato, amigo! :)* obrigada Batista

10:52 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home