sexta-feira, maio 12, 2006

o sapato voador

Levanto a pedra, chuto alto o sapato, soca, moule. Fico a vê-lo voar. Prefiro vê-lo de longe a correr ao seu encontro. Na distância do seu voo está um tempo de meditação, prazer e sossego. Como quando já antevimos o final e esperamos por ele conhecedores numa espécie de reprise. Fica-me o pé descalço e o andar desencontrado, desajustado. Deselegante é o eterno aprumo. Prefiro o corte com a normalidade. Faço-o também com o humor corrosivo. Mau humor. Vem-me com o cansaço e com a rotina. Também o cinismo mas esse com mais esforço. Esforço adicional de quem ainda tem noção do que pode perder. Quando não, é a agressividade pura e simples. E seja o que Deus quiser. Mando à merda como quem manda alto o sapato e chuta a pedra antevendo a sua queda. Por vezes no charco. Salpicando de efeitos secundários o que está em torno do alvo. Gosto mais da diversão do que das nefastas consequências e por isso me borrifo nelas. Salpico-me também. Outras vezes, sonho só com o sapato a voar ou com a palavra. Realizo o filme do dia com um final desconcertante. Solta-se a angústia latente e a irritante modorra. Não gosto quando me interrompem os sonhos com a realidade. Todos acham que esta vale mais do que aqueles. A importância dos papéis. Enquanto eu os rasgo em pensamentos reduzindo-os à pequenez da sua verdade. Dizem-me que o normal é aprender a aceitar tudo isto. Tenho para mim que isso é estupidez. E a estupidez custa-me. Normalidade e estupidez não devem ser sinónimos. Faço um esforço grande enquanto ainda tenho a noção das nefastas consequências e não me borrifo nelas. Salpico-me, transbordo-me delas nos filmes que realizo. Ponho na tela o sapato a voar e espero com satisfação o seu diagrama descendente. Até ao alvo. Ao charco. Ao chão. À realidade da lama. No sonho a essência tem mais valor pelo repúdio da mediocridade. Chutá-la. Alto. Como um sapato, uma soca, uma moule aterrando nas mais pequenitas consciências.

10 Comments:

Blogger Hipatia said...

Nas consciências e nas trombas de todos quantos nos enfernizam a vida preencehndo-a de realidade e estupidez.

Onde se arranja um sapato desses? Melhor ainda, onde compro um carregamento deles?

(era tudo tão mais fácil quando não tinhamos contas para pagar no final do mês e mandar à merda era uma opção...)

1:41 da tarde  
Blogger Bastet said...

Os meus favoritos são os de salto agulha! eh, eh, eh!!!

3:06 da tarde  
Blogger Aires Montenegro said...

Passo a vida a chutar alto o sapato que levanta a pedra... Assim soubesse eu também chutar a mediocridade, mas ela é tão pesada! O que vale é que não sou só eu a sofrer isso, este texto confirma-o. Abraço.

10:12 da tarde  
Blogger Elipse said...

É um texto muito bem construído, com forma circular (elíptica...)acabando por chutar para longe uma nesga de irritação ou o seu avolumar previsível.
Também é para isso que serve a escrita.

11:55 da tarde  
Blogger batista filho said...

Caprichaste na forma... sem esquecer do conteúdo!

Ps. Não sei se por causa do meu humor no dia de hoje, prenhe de altos e baixos, o certo é que me senti identificado com o texto. Grato por verbalizar o que em parte estava eu a sentir... ou simplesmente mergulhei de cabeça e de certa forma modelei o texto ao meu momento?!

4:14 da manhã  
Blogger jp said...

vamos lá acima,as duas? para pontapearmos a vida no caminho?
beijo bigodes

12:42 da manhã  
Blogger Bastet said...

Saudades desses tempos também Hipatia em que havia mais opções e menos realidade...

Pois é Aires, regra geral a mediocridade é que nos chuta a nós porque costuma estar em melhor posição estratégica... ;)

Obrigada Elipse. A escrita é-me muitas vezes necessária como regurgitação do mau feitio :)

Baptista... estávamos pois os dois em sintonia, verdade? Há dias em que credo! :)*

Querida Jaquelina: não devo poder ir lá cima porque tenho a melga comigo nesse fim de semana... mas havemos de pontapear juntas a vida em qualquer outra opurtunidade! :)*

10:20 da manhã  
Blogger Bastet said...

oportunidade, bolas!

10:21 da manhã  
Blogger Bastet said...

Jaquelina: Afinal a coisa mudou de figura! Vamos lá cima miúda? :)

12:15 da tarde  
Blogger jp said...

É já a seguir, Bigodes!

8:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home