quarta-feira, maio 31, 2006

o circo

Hoje é dia de quem me dera. E não me digam que não há horas inúteis. Não há caneta que reescreva sobre o rasurado do tempo. Gasto. Quem me dera! Sei-te capaz do milagre que não fazes. Os teus olhos são cartolas vazias e eu sou a criança que espera o coelho branco. Ponho no mago um poder que me pertence mas que me escapa. Como me escapam as horas que perco nesta muda assistência da vida. Porque me chamas ao teu palco? Que faço eu iludida? Porque me despes a roupa antes que me vá? E quem me dera não chegasse o intervalo desta patética encenação infantil porque me doem as mãos contraídas pela aclamação dos anos. Et voilá!, o condão do feitiço e saiem de mim papéis multicolores - fatal mulher - espectáculo. Três, dois, um. Acordo. Hoje. Em dia de quem me dera. E não me digam que não vá. Não há quem possa não ir onde pertence. Tenho o lugar reservado na primeira fila de espera. Para quando se levanta o cartaz a dizer que é tempo de rir. Ou de chorar. Ou de partir. O meu corpo é malabarista e a minha mente veloz. Trapezista à altura do teu sonho com a rede do desencanto que me suporta na queda. E quem me dera que hoje fosse dia de circo. Dos esguichos das pistolas dos palhaços que me dão prazer. Compraria o meu bilhete. Mas há horas sombrias. Feriados na ribalta desta alucinação. E não há guião que não ponha fim a um romance. Quem me dera.

10 Comments:

Blogger mc said...

É bom quando a escrita dos outros encaixa naquilo em que pensamos naquele momento. Cada um aceita o significado conforme lhe serve melhor.
É como os horóscopos; às vezes parece mesmo que estão feitos para nós.

É que hoje, para mim, também é dia de "QUEM ME DERA".
O que quer que seja que significa para mim.

bjos da mc

5:07 da tarde  
Blogger Bastet said...

Olá mc! Dias de quem me dera são fogo... como os horóscopos, também os há que Deus me livre. Que outros astros te iluminem. Um beijo.

8:28 da tarde  
Blogger SGC said...

Bastet,
Para mim,hoje, tb foi um dia de "quem me dera"... Grrr!
*

12:57 da manhã  
Blogger Bastet said...

xiiii.... parece que é doença contagiosa... :( bolas! Um beijo SGC sempre ajuda :)*

10:53 da manhã  
Blogger Elipse said...

e não há rede, bastet. nunca há rede!

10:40 da tarde  
Blogger th said...

Felizes vós, eu já me acomodei aos dias, os meus desejos ficaram pelo caminho...th

12:27 da tarde  
Blogger Caracolinha said...

Já há muito tempo que não passava por aqui ... mas é sempre bom saber que, quando volto, te encontro sempre no teu melhor ... a tua escrita fluí de uma forma verdadeiramente bela, cheia de conteúdo e de sentido.

'jinho encaracolado ;)

5:54 da tarde  
Blogger Su said...

gostei de passar por aqui....fez-me bem
voltarei
jocas maradas

9:22 da tarde  
Blogger batista filho said...

Bastet, aqui me sinto em casa... nem sei se já o disse. Repito-o, se for o caso.
Não digo que as palavras te são dóceis: de há muito desisti de tentar entendê-las, quanto mais domá-las! - mas percebo o quanto são íntimas de ti.
Parabéns, amiga, de coração.

4:03 da manhã  
Blogger Bastet said...

Elipse:apesar de tudo há pequenas redes onde nos vamos protegendo dos embates :)
Th: Quem escreve como tu está longe de se ter acomodado. E a vida acontece a cada segundo e até ao último segundo. Um beijo muito grande para ti amiga.

Caracolinha: ainda bem que saiste da tua casquita para vires até aqui caracolinha porque as saudades já eram muitas :)

Obrigada Su e volta sempre :)*

Querido Batista sabes bem que fico feliz por te sentires em casa aqui. Vem descansar neste cesto da bastet sempre que queiras. :)*

11:46 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home