sexta-feira, outubro 28, 2005

nada a propósito de tudo

Descubro na gaveta da secretária "cinquenta poemas de amor furtivo". Oculta, pela capa sugestiva, uma bela e antiga dedicatória de amor. Pelo ar, rugem maviosos "três tristes tigres", qualquer coisa como "já não há, já não és, o mundo a meus pés". Batem à porta, "Faça favor de entrar sem pedir licença". Assim, simplesmente, nas mãos e na boca, cem novos poemas por fazer, por dedicar, um mundo inteiro de frémito e desejo e, ai de mim, "não me lembro de ter gostado, de me ter custado", cai a meus pés, cai sobre mim, que bom esquecer-me assim, neste teu corpo, de que um dia poderei reabrir outra gaveta.

11 Comments:

Blogger pipetobacco said...

{ ... um.quase.nada © biquinha ... }

11:15 da tarde  
Blogger Hipatia said...

Tem piada! Não "verbalizo" as memórias como nada escrito; imagino antes as recordações como slides a passarem devagarinho, tingidos pelo tempo e pelo grau de saudade com que estão arquivados :)

Texto fantástico, como sempre, Oh Dona Gata :))

2:07 da manhã  
Blogger MRF said...

tenho um baú cheio de cartas, postais, mimos de amor. que não vou ler mexericar recordar há muito tempo. e agora deixei de "coleccionar". mas às vezes penso que é pena. perder as pequenas marcas pistas de estórias doces deste presente. um dia talvez precise delas (?)

3:43 da tarde  
Blogger Bastet said...

Obrigada Hipatia e MRF :) Precisamos sempre das nossas recordações e, as mais doces, fazem-me cocegas no palato... um beijo para as duas.

12:53 da manhã  
Blogger Mocho Falante said...

Quem nem tem um baú ou uma caixa cheia de recordações.

São tão bem de vez em quando reler o que escreveu e o que nos escreveram...

Ai juventude onde andas tu???

Beijocas

2:35 da manhã  
Blogger batista filho said...

Se da secretária se da memória (tudo memória!) - ponte a nos ligar ao que somos...

9:37 da tarde  
Blogger adesenhar said...

venham daí esses "cinquenta poemas de amor furtivo" :)

bjks :)

11:04 da tarde  
Blogger th said...

Ah a dança das palavras, o rodopio dos beijos e desejos, nos amplexos quentes e húmidos que deixam lembranças nas gavetas...
th

11:24 da tarde  
Blogger Noite said...

Tornas especiais as coisas mais simples. Fazes uma bela pintura de uns lápis que já não teriam aproveitamento possível noutras mãos.
Beijinhos, Bastet.

2:37 da manhã  
Blogger jp said...

Mesmo que penses que não, haverá sempre uma gaveta ao alcance simples da mão.
E rima e tudo ;P
Beijoca bastet

9:35 da tarde  
Blogger Bastet said...

:) Obrigada a todos pelas vossas palavras!

10:30 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home