sexta-feira, abril 29, 2005

quartos e janelas

Um quarto é da cor que nós quisermos, do amor que lhe pusermos lá dentro e das carícias que deixarmos respirar pela janela. O meu, branco, encheu-se de amarelo sol. Mas quartos haverá, que com tinta dessa cor, ainda assim serão soturnos com janelas de sombras e insónias. Um quarto é o país que nós sonharmos, feito dos cheiros e das especiarias que exalamos. No meu, ficou o cheiro da canela, doce e quente. Mas quartos haverá, nas Índias mais distantes, em que os aromas morrem sem cheiro que lhes avive as cantarias. Um quarto tem o gosto que lhe dermos, sabor a mar e seus frutos. O meu, encheu-se de sal e delícias. Mas quartos haverá, que com janelas oceânicas, jamais terão no palato a arte de assim navegar.

8 Comments:

Blogger AleKsandro said...

Está tudo no passado! Quer dizer que essas cores, aromas e sabores fazem já parte do passado?
Nunca deixe que o seu quarto se torne um espaço sensaborão!

4:56 da tarde  
Blogger Bastet said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

5:35 da tarde  
Blogger Bastet said...

Hoje já é passado Aleksandro! :)

5:39 da tarde  
Blogger Nino said...

Descobri enfim um retrato da Bastet:
http://lu.hiof.no/~lev/Katter/JPEG/Vermeer.jpg

10:52 da tarde  
Blogger Bastet said...

Nino: E que bonita estou com o lenço de pontas caídas :) és terrível!

12:58 da manhã  
Blogger th said...

Delicio-me com a tua prosa que tem cheiros de então, que me são caros, janela aberta donde saem aromas que nos envolvem e nos mostram paisagens em que o o lhar descansa. th

12:50 da tarde  
Blogger Bastet said...

Obrigada th. O teu comentário está mais bonito que o meu post! :)

5:22 da tarde  
Blogger lena said...

os cheiros são de hoje, são de sempre

(tu abriste a janela do teu quarto, hoje (ontem?), é nós sentimos isso tudo! :)

que bom!
;D**

conta do jeremias, tem-se portado bem? :)

9:19 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home