segunda-feira, março 21, 2005

o namoro

Vamos falar com propriedade, vamos dizer que o namoro é andar de mão dada, passear juntos pela estrada e espreitar o mundo com olhos frescos. Vamos explicar que o namoro é "naíf", tem beijos, carícias e sorrisos, tem praias azuis e castelos imaginários nas bermas do tráfico e nos acordes antigos de músicas esfarrapadas. O namoro tem só imprevistos em dias inesperados, previamente agendados à socapa, tem jeito de fuga num breve café, na troca de colheres e de sabores e tem sonhos acordados só a dois. Todo feito de liberdade prisioneira, o namoro não tem fronteira, não tem antes nem depois, só agoras, só presentes, só tardes tão fugazes que se repetem constantemente e que se desejam capazes de durar eternamente. Tem suaves toques a receio, tem mínimas descobertas, tem o mundo inteiro feito de janelas abertas, tem fragrâncias de intimidade, tem amor pelo detalhe que se oferece embevecido, idioma descoberto, “meu amor”, “meu querido”, tem todas as palavras, tem todos os momentos, tem promessas, tem alentos. O namoro é em verso, é feito de poesia, rima com si próprio sem decoro enrubescido, é um intervalo perfeito, é um soneto colorido, o namoro é um beijo repetido, o namoro é um beijo repetido.

12 Comments:

Blogger lena said...

quase que me dás saudades de namorar!!! ;D****



(eu disse quase! lol)

7:44 da tarde  
Blogger Bastet said...

Namorar é bom Laura, pelo menos é o que me lembro ;)

10:26 da tarde  
Blogger Alcabrozes said...

Ao Domingo, os namorados, estão em bancos de jardim, sentados, comendo pevides e tremoços, descascados, tupi ti tupi, ti tupi tuã...

o net pulha

12:53 da tarde  
Blogger Softy Susana said...

tão doce, este post! e deu para perceber que ainda namoro! Muito! ;)

beijocas!

2:12 da tarde  
Blogger MRF said...

e as emoções à flor da pele, tão feliz, tão infeliz, o impacto das pequenas coisas, reconforto e dúvida, as pequenas zangas e tantas saudades, e depois deixa de ser assim..., porquê?

2:16 da tarde  
Blogger Bastet said...

Pois Softy tu namoras com a vida :); MRF: Não sei porque deixa de ser assim mas sei que pode voltar a ser assim... :)

2:55 da tarde  
Blogger Barão d'Holbster said...

Oh namorar.
Aquela fase em que o coração explode e se fica com as mãos completamente molhadas.
O primeiro beijo, o andar de mão dado como o resto do mundo não existisse...
Depois o conhecimento mais profundo, o reconhecimento de que afinal existem defeitos, as birras, os corpos, a saudade...
Como eu gosto namorar...

3:21 da tarde  
Blogger The Challenger said...

Como é popular este tópico! Não percebo porquê? ;)

4:50 da tarde  
Blogger The Challenger said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

4:51 da tarde  
Blogger Bastet said...

Querido Barão, namorar é fantástco mesmo mesmo com as birras que venham depois vale sempre a pena!
Quanto a ti Challenger és um namoradeiro incorrigível!

12:11 da manhã  
Blogger lena said...

mãos molhadas é que belheque!
;D

1:37 da tarde  
Blogger Bastet said...

belheque mas na altura não se pensa nisso! ;)

12:28 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home