sábado, fevereiro 12, 2005

amor circular

O meu amor por ti é circular. Círculo perfeito. Começa e acaba num só ponto. Pelas linhas redondas, circulares, abraça-te e contem-te. Umas vezes sublime de leveza, feito bola de sabão, ergue-se tão transparente quase ao céu, à ilusão. Outras vezes, forte, denso e pesado, circunferência de grilhão, amarra-me, dói e fere. Mas se olho o meu pé magoado e por mim tento chorar, é a tua dor que se chora por me teres querido magoar. É um amor redondo, sem princípio ou fim que se distingam, indistinto na liberdade e na fuga da solidão, confundindo amor e desejo, cobardia e coragem, texto, contexto e mensagem. É pois circular o meu amor, coeso, supremo, admirável, eterno ciclo que desmaia e aí mesmo se refaz.

3 Comments:

Blogger Softy Susana said...

Espero que nessa roda de amor exista dois sentidos. é que é duro amar sem ser amado!
;)
beijinhos!

10:48 da manhã  
Blogger Ardina said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

11:20 da tarde  
Blogger Ardina said...

A velocidade angular do amor circular, indirectamente proporcional ao parágrafo dos desamores pendentes.

11:21 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home