sexta-feira, outubro 22, 2004

bastet ao sol

Ó glorioso deus Rá. Ó deus dos deuses, Bastet se curva e agradece. Bastet a deusa dos gatos de um Egipto esquecido, terra de felinos que se alongam sob a tua força e a tua graça que reluz nas pelagens mais diversas. Hoje Bastet amanheceu embevecida. Sentiu a magia da vida nos teus raios e esqueceu as tristezas. Saíu à rua de ar malandro e garras de fora. Gata Bastet. Lambeu as feridas que aos poucos cicatrizam e lá foi bamboleante rua fora. Ágil de corpo e pensamento, interiorizou o teu calor e fez-se ao mundo, à alegria que se oferece a cada esquina e que por vezes no nevoeiro cuidamos estar perdida. Bem hajas deus Rá e eu te venero. Bem hajam os que andam perdidos e se encontram na tua presença, ronronando na praia, na cidade, nos becos, nos campos, aqui e por todo o lado. Que ao sol a solidão é a mesma mas decididamente a atitude é diferente.

3 Comments:

Blogger Boabdil said...

ao sol a ou à a atitude coerente, é o que mais conta...

7:34 da tarde  
Blogger púrpura said...

Há que tempos que aqui não vinha... - tenho andado às voltas com o blog devido ao terrorismo internáutico :(
A ver se as coisas acalmam agora.
bj

9:16 da manhã  
Blogger cuca said...

É isso, sentir a magia da vida. A magia dos sentimentos, das emoções e do bem estar interior apenas depende de nós. A vida corre lá fora, tal como corria à mil anos atrás e como correrá daqui a mais mil... com as mesmas personagens que nos rodeiam hoje. Tu és a feiticeira da tua alma, do teu bem estar... da tua tranquilidade. Beijos e pós de perlimpimpim positivos e coloridos!

11:41 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home