sexta-feira, julho 16, 2004

nada nas mãos

 
Baltazar chegou ao mercado de mãos vazias. Era assim que andava por todo o lado, mesmo quando os demais ostentavam mãos repletas. Mas as suas eram mãos diferentes: dedos mágicos, de formas fuseladas, palmas límpidas, sem traços de vida, amores ou doença. Com aquelas mãos, Baltazar fazia milagres. Diziam os descrentes que eram mãos de pobre, assim vazias, em jeito de nada, porque nada tinham para suster. Fugia-lhes ao entendimento que pouco se sustém como o nada. Abertas, eram magníficas. Encantava ver como o nada se lhes prendia, desprendendo-se em gestos largos de oferta. Comoviam, aquelas mãos de Baltazar.Ora, Baltazar, assim se passeava. Repartindo curiosidade nas banquinhas, assenhorava-se dos preços, replicando, sabedor, em maneios de cabeça. Aos frutos saborosos, aspirava-lhes o perfume, sem nunca lhes tocar. É que suas mãos só o nada sustinham. Delas tudo se desapegava. Uma vez, percebi-lhe outra vontade. Só dessa vez, parecia que à força de vento, todo ele, em espiral, se recolhia. Baltazar, distorcia-se, caracoleando-se até se fechar. Foi nessa concha que lhe fui em socorro. Desse o sol seus raios em ajuda, desse o desespero força de deus e leveza de farófias, desse a vontade milagre às minhas preces. Baltazar, em concha, parecia para sempre fossilizado. Miúdo, em compactos de nada e perfumes, nem as mãos o engrandeciam. Foi a custo de nada que se reabriu Baltazar. Como se houvera fechado também se reabria. Despudorada, pude por momentos acreditar que fora por meu socorro. Hoje, sei que não. Não socorrem mãos vulgares àquelas em que nada se prende.

4 Comments:

Blogger Alcabrozes said...

A julgar pela quantidade e qualidade dos últimos posts, parece-me que Bastet, esté tal e qual uma panela de pressão, inspirada e cheia de força!
Esperemos que no fim possamos degustar esse guisado literário como um todo!

o.n.p

7:58 da tarde  
Blogger Rui said...

Levas a mal se disser que o Sol&tude é neste momento um dos melhores blogues portugueses?

10:49 da tarde  
Blogger Bastet said...

Quando me agridem sei defender-me, quando me elogiam fico sem jeito. Obrigada (muito)!

11:49 da tarde  
Blogger forass said...

"...Baltazar tem muito azar, Baltazar não vai gostar, Baltazar vai beber no bar..."
In: Ena Pá 2000

4:18 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home